Continua uma verdade absoluta o clichê que reza que “a aparência é o melhor cartão de visitas”. Mas até que ponto rosto espinhudo ou barba mal cuidada embaçam uma promoção? Uma tatuagem de gosto duvidoso pode manchar um currículo impecável numa entrevista? As empresas estão mais flexíveis em relação ao visual, mas as regras dos códigos de aparência quase nunca estão escritas e, pior, não são claras. Querer marcar a individualidade pode fechar portas.

“Diferentemente da época de nossos pais e avós, hoje é inadmissível que um homem não se preocupe com a aparência”, afirma Rudney Pereira Jr., gerente de projetos da consultoria de recrutamento de executivos Stanton Chase International. Por outro lado, chamar a atenção pelo excesso nunca é uma boa estratégia. “Evite tudo que possa causar rejeição”, alerta Daniela Orefice, diretora da Doers Human Capital Solutions.

Novos Tempos
Só recentemente a Disney World, que tem um dos códigos de aparência mais rígidos do mundo, passou a admitir barba e cavanhaque curtos. Tatuagens e cortes de cabelo “extremos” continuam proibidos. Mas ninguém precisa ser “homem-coxinha” para subir na vida. Ousadia é permitida, mas dá trabalho. Barba de três dias ou um penteado bacana exigem investimento: de tempo em frente ao espelho e de dinheiro em produtos para manter tudo em ordem e no lugar. Confira as dicas dos especialistas para se destacar na empresa – no bom sentido, é claro.

cabelo

Cabelo
“As empresas estão mais abertas em relação aos penteados masculinos, mas deve-se atentar ao grau de recato que a profissão exige”, frisa Daniela Orefice, da Doers Human. Se você circula em ambientes formais, restrinja-se aos cortes curtos; caso sua área permita, libere cachos e comprimentos mais longos. E nada de juba desgrenhada ou engordurada: “O cabelo deve estar sempre bem cortado e limpo”, diz Rudney Pereira Jr., da Stanton Chase.

pele_1

Pele
Cara de bebê pode não abrir portas, mas pele maltratada é vista como sinal de desleixo, afirmam os especialistas. Oleosidade, acne, pelo encravado e foliculite são péssimos cartões de apresentação, especialmente para quem precisa lidar com público. “Existem inúmeras opções de produtos e tratamentos para amenizar esses problemas. Não há mais desculpas para um homem exibir uma cara brilhante ou espinhuda”, diz Daniela Orefice.

tatuagens-2_1

Tatuagens
Exibir desenhos corporais é hoje tão normal no mundo corporativo quanto usar relógio. Em certos cargos, porém, os desenhos podem comprometer a imagem de seriedade do profissional. “Braços como gibis podem ser aceitáveis num personal trainer, mas não num alto executivo”, diz Rudney Pereira. Tatuagens expostas o tempo todo – como nas mãos e no pescoço – podem atrapalhar uma contratação.

barba

Barba
Cara lavada é atributo pouco exigido nas seleções, mas refreie sua vontade de exibir pelagem facial à la ZZ Top. O estilo de barba que não vê lâmina há três dias, além de ser tendência, dá ares de informalidade que caem bem em áreas como publicidade e design, por exemplo. “Seja qual for o tamanho da barba, ela deve ser aparada regularmente. Aspecto de náufrago é proibido”, ressalta Rudney Pereira Jr., da Stanton Chase International.

perfume
Perfume
Usar uma boa fragrância passa uma imagem de cuidado pessoal, limpeza e sofisticação. Mas se, por um lado, ser reconhecido como um cara perfumado não conta pontos no seu currículo, por outro lado tomar banho de perfume acaba com sua reputação. “O uso excessivo no ambiente de trabalho é reclamação constante nas empresas”, diz Daniela Orifice. Está em dúvida se é apropriado passar colônia ao se preparar para uma reunião? “Não passe”, afirma Fabio Navarro, consultor e especialista em perfumaria. Na hora de escolher a fragrância, opte pelas mais frescas, apropriadas para uso diurno – o complemento “sport” no nome dá uma boa pista. Reserve os perfumes densos e encorpados para a balada.

Via GQ Brasil