Curte colocar a moto na estrada? Então confira essa seleção para programar a sua próxima viagem

1. Estrada da Graciosa

Estrada da Graciosa, no Paraná: parte do trajeto é percorrido sobre parelelepípedos | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: Curitiba, PR
Destino: Morretes, PR

Construída em meados do século XIX, a Estrada da Graciosa liga Curitiba a Morretes, no litoral paranaense. A viagem de moto começa pela BR-116 – é preciso seguir por ali até o quilômetro 61. A partir desse ponto, a Graciosa se apresenta cheia de curvas e visual encantador. Vale a pena diminuir a velocidade da moto para curtir os cerca de 30 quilômetros de asfalto e trechos de paralelepípedos entremeados de riachos, flores e quedas d’água – típicas paisagens da Serra do Mar -, além de trilhas e ruínas históricas.

Pit stop: Villa Morretes (Rua Almirante Frederico de Oliveira, 155, Morretes).
Com vista para o Rio Nhundiaquara, o restaurante de decoração rústica oferece pratos ao melhor estilo da região.

2. Rio-Santos

Praia de Itambuca, em Ubatuba: parada obrigatória para quem atravessa a Rio-Santos | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: São Sebastião, SP
Destino: Paraty, RJ

Uma das mais belas rodovias do Brasil, a Rio-Santos passa por lindas praias (algumas delas desertas, ou quase). Partindo de São Sebastião, no Litoral Norte de São Paulo, pode-se aproveitar as belezas estrada dede o começo da viagem. Ainda em São Sebastião, parar na praia de Camburi é mais que uma obrigação para quem não dispensa um banho de mar – ou apenas quer descer da moto para fazer uma selfie. O mesmo vale para as praias de Itambuca e Brava, ambas de Ubatuba. Depois de cerca de quatro horas de viagem, curtir o centro histórico de Paraty é mais que uma recompensa.

Pit stop: Baduê (Avenida Francisco Ioup, 901, São Sebastião-SP). Mistura de cozinha contemporânea com a caiçara. É muito conhecido por seus pratos de peixe e frutos do mar, mas também serve pedidas japonesas e até pizza quadrada.

3. GO-118

Chapada dos Veadeiros: destino certo para quem procura belas paisagens e cachoeiras | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: Brasília, DF
Destino: Alto Paraíso de Goiás, GO

A rodovia recebeu manutenção na pista e está quase um tapete. A GO-118 corta o estado de Goiás e passa por São Gabriel e São João D’Aliança até chegar a Alto Paraíso de Goiás, a porta de entrada da belíssima Chapada dos Veadeiros, numa viagem de quase três horas. A região, considerada por muitos a capital brasileira do misticismo, é conhecida por suas diversas cachoeiras de águas cristalinas. Importante: não se esqueça de levar bastante água para a viagem, pois o clima da região é muito seco.

Pit stop: Jambalaya (Rua dos Colibris, Qd 6, Lt 1, Alto do Paraíso). O restaurante oferece pratos com o sabor do cerrado, com temperos da região, e música ao vivo.

4. Caminho do Diamante, Estrada Real

A Estrada Real compreende vários caminhos abertos oficialmente pela Coroa Portuguesa para escoar o ouro e pedras preciosas de Minas Gerais para o litoral

Ponto de partida: Ouro Preto, MG
Destino: Diamantina, MG

Construída nos tempos de Brasil Colônia, o Caminho do Diamante, que liga Ouro Preto a Diamantina através da Estrada Real, é uma verdadeira aventura que flerta com a história do país e natureza exuberante da região. São exatos 394 quilômetros, 289 deles de terra batida e outros 105 asfaltados. Quer altas velocidades? Esqueça, é uma viagem rústica. Sua única preocupação deve ser enquadrar nas fotos do celular belas cachoeiras, lagos, rochas e serras.

Pit stop: La Violla Brasserie (Praça Monsenhor Mendes, Catas Altas). Cervejaria de vários rótulos que oferece petiscos e pratos tipicamente regionais.

5. Rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto

Campos do Jordão: um dos destinos mais tradicionais dos motociclistas paulistas | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: São Paulo, SP
Destino: Campos do Jordão, SP

Com os dias ficando mais frios, viajar até Campos do Jordão é uma boa pedida. A cerca 181 Km de São Paulo, a viagem até lá é facilitada pela boa qualidade das pistas das Rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto – verdadeiros “tapetes”. O trecho mais desgastante do trajeto é a subida (Campos fica a 1628 metros acima do nível do mar), mas nada que não seja compensado pela beleza da badalada cidade de jeitão europeu.

Pit stop: Libertargo (Avenida José Manoel Gonçalves, 160, Campos do Jordão, SP). Para curtir o friozinho da serra, serve cortes argentinos acompanhados de vinho ou cerveja.

6. Estrada da Serra do Rastro da Serpente

Serra do Rastro da Serpente: curvas e paisagens impressionam | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: Capão Bonito, SP
Destino: Curitiba, PR

Encarar essa estrada é uma aventura muito conhecida e apreciada pelos motociclistas mais aventurados. Durante os 260 km de distância e mais de 1.200 curvas sinuosas, dá para apreciar lindas paisagens. Logo no começo, já tem lugar de parada: o Portal Rastro da Serpente, localizado em Capão Bonito (SP). Mais a frente, Apiaí (SP) é outra cidade com ponto de parada obrigatório. A Casa do Artesão é um dos seus principais pontos turísticos.

Pit stop: Rojão do Balaio (Praça Bom Jesus, 44, Ribeirão Grande, SP). O restaurante oferece o espeto de rojão, prato tradicional da região feito com carnes diferentes (recomenda-se a reserva prévia do pedido).

7. Rodovia Fernão Dias

Monte Verde: tranquilidade e boa hospitalidade atrai motociclistas | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: São Paulo, SP
Destino: Monte Verde, MG

Um dos destinos mais tradicionais dos motociclistas paulistas. Saindo de São Paulo, a viagem segue pela Fernão Dias até a cidade de Camanducaia em meio a belezas naturais da Serra da Mantiqueira. De lá até Monte Verde, pegue a saída 918 e siga por uma estrada de 30 quilômetros, recentemente pavimentada.

Pit stop: Villa Amarela (Avenida da Fazenda, 10, Monte Verde, MG). Restaurante self-service, oferece variedade de receitas inspiradas na culinária mineira.

8. Rodovia dos Bandeirantes

Rodovia dos Bandeirantes

Ponto de partida: São Paulo, SP
Destino: Piracicaba, SP

São 160 km que separam as duas cidades por esse “tapetão” que é a Rodovia dos Bandeirantes, é uma das melhores do Brasil. O trecho é tranquilo e a planície prevalece. Chagando a Piracicaba, é possível ir ao Alto do Mirante e ter uma vista linda do Rio Piracicaba – essa é a hora de sacar o celular para fazer uma selfie.

Pit stop: Rua do Porto. Ponto turístico tradicional de Piracicaba, possui vários restaurantes que preparam pescados

 

9. Rodovia Serra do Rio do Rastro

Serra do Rio do Rastro: curvas cortam montanhas e precipícios | FOTO: Reprodução

Ponto de partida: São Joaquim, SC
Destino: Orleans, SC

Entre os 87 quilômetros que separam São Joaquim, ao sul de Santa Catarina, e Orleans, há uma pérola: a Rodovia Serra do Rio do Rastro, no município de Lauro Muller. O percurso de 15 quilômetros, com forte variação de relevo, curvas bem fechadas e muito próximas ao precipício, é o trecho mais bonito da viagem. A vista para o vale é maravilhosa, mas como a pista não tem acostamento, torna-se praticamente impossível parar a moto para apreciar a paisagem. Uma saída é ir ao Mirante da Serra do Rio do Rastro que, localizada no topo da Serra, proporciona uma vista admirável vista panorâmica da estrada.

Pit stop: Churrascaria Cascata da Serra (SC-390, Rodovia SC-438, Km 121, Bom Jardim da Serra-SC). Com carnes de ótima qualidade e comidas típicas da Serra, oferece a vista para Serra do Rio do Rasto, que torna a refeição ainda mais apetitosa.

10. Rio-Santos

Rio-Santos

Ponto de partida: Rio de Janeiro, RJ
Destino: Angra dos Reis, RJ

Durante o curto percurso de 147 km haverá a opção de parada em praticamente todas as praias cortadas pela rodovia até chegar a Angra. Apesar de belos trechos aparecerem durante a viagem, você não pode deixar a bateria do seu celular acabar antes de chegar ao mirante de Angra dos Reis, que dá acesso a uma linda vista da Baia de Jacuecanga. Lá, é certeza de belas fotos e selfies, como em praticamente todas as praias de águas cristalinas de Angra.

Pit stop: Restaurante Samburá (Rua Maria Jose Lucas Peixoto, 286, Angra dos Reis, RJ). Simples e aconchegante, oferece pratos com frutos do mar.